Marina admite que pode divergir de PV em decisão sobre apoio no 2º turno

A senadora Marina Silva (PV), que obteve a terceira posição nas eleições presidenciais de domingo, admitiu nesta quarta-feira, 6, que pode divergir da posição que venha a ser tomada pelo PV sobre o apoio aos candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), que foram para o segundo turno. “No processo é natural essa diferença”, disse.

Jair Stangler,

06 de outubro de 2010 | 19h08

 

A senadora afirmou que não irá negociar cargos para apoiar qualquer um dos candidatos. Segundo ela, “eu não vou por ai, vamos fazer uma discussão programática”, ressaltou. Marina voltou a afirmar que a coordenação de sua campanha vai elaborar propostas e encaminhar para a sociedade e anunciou uma reunião da comissão nacional do PV, que ocorrerá nesta quinta para discutir essas propostas.

 

A senadora voltou a cobrar dos dois candidatos que apresentem um plano de governo. Ela diz considerar o segundo turno uma bênção e disse ainda que o país sofreu “um retrocesso terrível na política”.

 

Ela concedeu entrevista coletiva em comitê na Vila Madalena, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.