Mares Guia diz não ver motivo para se afastar do governo

O ministro das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, disse hoje que "não há razão" para se afastar do cargo. Ele fez a afirmação ao comentar sobre a possibilidade de o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, apresentar denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF) por suposta participação no esquema de arrecadação de dinheiro montado em 1998 para a campanha à reeleição do então governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo (PSDB), hoje senador. Após participar da reunião de coordenação política do governo, com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Mares Guia contou que informou ao presidente sobre a conversa que terá com o procurador-geral para dar explicações sobre o caso. Lula, conforme relato de Mares Guia, ouviu e manifestou "sempre solidariedade, amizade e confiança".No encontro com o procurador, Mares Guia pretende apresentar todos os documentos que, segundo ele, comprovam sua inocência nas acusações de participação no chamado "mensalão mineiro". O ministro disse ainda que este assunto não foi tratado na reunião de coordenação e que esta discussão "não constrange o governo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.