Marcos Valério é denunciado pela 3ª vez em menos de um mês

Empresário e lobista é acusado do crime de sonegação fiscal; ele já é réu no caso do mensalão e está preso

Eduardo Kattah, de O Estado de S. Paulo,

17 de dezembro de 2008 | 17h04

O Ministério Público Federal (MPF) em Belo Horizonte ofereceu nesta quarta-feira, 17, à Justiça denúncia contra Marcos Valério Fernandes de Souza e sua esposa, Renilda Maria Santiago, por crime de sonegação fiscal. É a terceira acusação formal contra o publicitário, que já é réu no processo do mensalão, em menos de um mês. O casal, conforme o MPF, omitiu informações e prestou declarações falsas à Receita Federal, relativas ao pagamento do Imposto de Renda dos anos-calendário de 2001 e 2002. A Procuradoria da República em Minas apurou que a dívida de Valério e Renilda com a Receita chega a cerca de R$ 5 milhões.  Veja Também:  Os 40 do mensalão No início do segundo semestre de 2005, os denunciados chegaram a retificar as declarações, "mas persistiram os mesmos vícios das declarações originais", afirmou o MPF, por meio de nota. A denúncia informa que as retificações apontaram sonegação de R$ 1,7 milhão que, "acrescidos de juros e multa, proporcional, totalizaram um crédito tributário de mais de R$ 5 milhões". Os acusados também não conseguiram comprovar a origem dos recursos movimentados por eles em mais de oito contas bancárias distintas. De acordo com o MPF, os procedimentos administrativos fiscais já transitaram em julgado administrativamente e foram encaminhados à Procuradoria da Fazenda Nacional para cobrança do débito. Caso sejam processados pelo crime de sonegação fiscal, Valério e Renilda podem ser condenados, cada um, a uma pena de até cinco anos de prisão. Das três denúncias, uma delas trata de crimes relacionados ao chamado mensalão tucano mineiro já foi recebida pelo juiz Alexandre Buck, da 4ª Vara Criminal da Justiça Federal. O advogado Marcelo Leonardo, que representa Valério e Renilda, disse que irá aguardar a notificação dos seus clientes para fazer qualquer comentário. Ele disse que não tinha conhecimento oficial da denúncia. "Não tenho condição de emitir opinião sobre uma nota do Ministério Público", afirmou.  Valério atualmente cumpre prisão preventiva em São Paulo, acusado na Operação Avalanche, da Polícia Federal, de envolvimento e articulação de um esquema para desmoralizar dois fiscais da Receita Estadual paulista.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.