Celso Júnior/AE
Celso Júnior/AE

Marcos Valério afirma ter operado caixa 2 da Usiminas em campanhas de 1998 e 2002, diz jornal

Delação precisa ser homologada pelo Supremo Tribunal Federal

Cynthia Decloedt, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2017 | 10h13

SÃO PAULO - O empresário Marcos Valério, condenado pelo mensalão, disse à Polícia Federal, em delação premiada, ter intermediado contribuição de caixa 2 da Usiminas para campanhas políticas entre 1998 e 2002, segundo informações do jornal O Globo, deste sábado, 22.

De acordo com a reportagem, foram doados R$ 1 milhão, conforme valores da época, para a campanha pela reeleição de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em 1998 e o mesmo valor para as campanhas de Lula (PT) e José Serra (PSDB) à presidência em 2002 e para a campanha de Aécio Neves (PSDB) ao governo de Minas Gerais também em 2002.

Os valores foram autorizados pelo então presidente da Usiminas, Rinaldo Soares. A delação precisa ser homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para ter valor jurídico, acrescenta o jornal.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.