Marco Maia diz que não é a mídia que massacra Lula

Presidente da Câmara discorda de direção petista, que acusa imprensa de massacrar ex-presidente pelo mensalão

João Domingos, de O Estado de S. Paulo

19 de setembro de 2012 | 17h25

Contrariando o que tem sido dito de forma insistente pela direção do PT, o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), afirmou que não vê a mídia comandando um massacre ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por causa do julgamento do escândalo do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF). "Não posso responsabilizar a mídia, que reproduz o que ela escuta. Às vezes, escuta mal", disse ele.

Sem dar nomes, o presidente da Câmara afirmou, no entanto, que há setores da sociedade que querem "criminalizar, descaracterizar e desmoralizar" os oito anos do governo de Lula. "Eles se esquecem que Lula foi o melhor presidente que o Brasil já teve, que foi a política dele que possibilitou a quase 40 milhões de pessoas o acesso ao consumo. Também foi por causa de Lula que ganhamos credibilidade lá fora, que deixamos de dever ao FMI, que a frequência na escola passou a ser plena, que os jovens puderam ir para as universidades, que a luz chegou para todos, que o emprego cresceu e o desenvolvimento econômico também".

Marco Maia afirmou ainda não acreditar em prejuízos para o PT por causa do julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF). "Nas eleições municipais o eleitor quer saber é se o poste de luz funciona, se a rua terá asfalto. Os grandes debates nacionais não chegam ao eleitor". Maia disse ainda que, pelas informações de que dispõe, o PT elegerá mais prefeitos do que tem hoje. "É claro que não vamos eleger todos que queremos, porque isso é impossível, mas que vamos crescer e garantir as cidades que governamos, isso já está claro".

Tudo o que sabemos sobre:
LulaMarco Maia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.