Marco Maciel lamenta morte de Evandro Lins e Silva

O vice-presidente da República, Marco Maciel, lamentou o falecimento do jurista Evandro Lins e Silva. "Evandro Lins e Silva era, em sua essência, um cidadão republicano", afirma Maciel, em mensagem divulgada nesta amanhã. "Por isso, não deixa de ser oportuno lembrar a última homenagem que ele recebeu do Congresso Nacional e do presidente Fernando Henrique Cardoso, ao ser nomeado na última quinta-feira para integrar o Conselho da República. Jurista, intelectual, portador de coragem moral e cívica, ele honrou a cidadania em todas as funções que desempenhou. Como seu amigo, a quem me ligava por laços de conterraneidade nordestina, lamento a sua morte. Tenho certeza de que o exemplo que ele deixou ajudará a construir o Brasil do Século XXI"."Perde a advocacia a sua estrela maior", diz presidente da OABO presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Rubens Approbato Machado, também lamentou a morte do jurista Evandro Lins e Silva, exaltando suas qualidades como jurista e defensor dos direitos das liberdades democráticas e do estado de direito. "Perde a advocacia a sua estrela maior", afirmou o presidente da OAB. "Perde a cidadania o seu incansável defensor. Perde o Brasil um herói. Perde a humanidade um missionário do direito das liberdades. Evandro Lins e Silva teve a graça de reunir todas as qualidades que Deus consagrou ao ser humano, o que fez dele um exemplo para todos os brasileiros. Durante todos esses anos, Evandro sempre foi um advogado e um cidadão preocupado com os destinos do Brasil. Foi um combatente destemido em defesa do bem comum, dos interesses da Pátria e do Estado democrático de direito. Com seu exemplo de lucidez e vigor, Evandro Lins e Silva entra para a história para ser imortalizado pelas futuras gerações".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.