Marco Maciel é pressionado a escolher DEM ou Kassab

A nomeação do presidente do Conselho Político do DEM, o ex-vice presidente da República Marco Maciel, para cargos em conselhos de empresas da Prefeitura de São Paulo causou desconforto dentro do DEM. Apesar de o presidente da legenda, José Agripino, dizer não desconfiar da postura do colega, parlamentares do partido defendem uma pressão para forçar Maciel a escolher entre o DEM e o prefeito Gilberto Kassab, que deixou a legenda para fundar o PSD.

AE, Agência Estado

11 de maio de 2011 | 11h00

Marco Maciel receberá salário de R$ 12 mil para participar de uma reunião por mês dos conselhos da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da São Paulo Turismo (SPTuris). O ex-vice-presidente é ligado ao grupo de Jorge Bornhausen, que na semana passada também anunciou seu desligamento do DEM.

Integrantes do DEM reagiram pedindo que a cúpula do partido pressione Maciel a decidir se ficará com a legenda ou com Kassab. "Não dá para ficar com um pé em cada canoa. Ele tem que se decidir", disse um parlamentar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
KassabpartidoPSDDEMMarco Maciel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.