Marco Aurélio nega pedido de Andrea Neves para ser julgada pela primeira instância

Ministro afirma que envio ou não de caso à Justiça de São Paulo não influenciaria decisão sobre prisão

Isadora Peron, Breno Pires e Rafael Moraes Moura, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2017 | 16h00

BRASÍLIA - O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou nesta terça-feira, 20, o pedido da defesa de Andrea Neves para que o seu caso fosse desmembrado do processo do irmão, o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), e enviado à Justiça de São Paulo.

Na peça, o advogado Marcelo Leonardo pedia também a revogação da prisão preventiva de Andrea, decretada no dia 18 de maio, durante a Operação Patmos.

Na decisão, o ministro afirma que enviar ou não o caso à primeira instância não iria “influenciar a definição da questão de fundo”, isto é, “a manutenção ou revogação da prisão preventiva implementada em desfavor da requerente”.

O argumento da defesa de Andrea é que, como ela não tem a prerrogativa de foro, não deveria ser julgada pelo Supremo.

A Primeira Turma do STF discute a prisão de Andrea nesta terça-feira. Antes do início do julgamento, Marco Aurélio disse que havia “gente arrependida” de não ter concedido a liberdade de irmã de Aécio na semana passada. O colegiado também  deve julgar o pedido de prisão do senador tucano e a questão relativa ao seu afastamento da função parlamentar. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.