Marco Aurélio diz ter 'gente arrependida' de ter votado contra liberdade de irmã de Aécio

Ministro do Supremo dá declaração diante da possibilidade de o plenário não acatar pedido de prisão do senador Aécio Neves

Isadora Peron, Breno Pires e Rafael Moraes Moura, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2017 | 14h32

BRASÍLIA - O ministro Marco Aurélio Mello disse no início desta tarde de terça-feira, 20, que ainda não tinha visto o novo recurso da defesa do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) para que o pedido de prisão do tucano fosse julgado pelo plenário do Supremo Tribunal Federal, mas defendeu que era preciso "confiar na 1ª Turma".

Em uma sinalização de que o colegiado deve negar a prisão de Aécio, Marco Aurélio afirmou que "parece que tem gente arrependida" de ter votado contra o pedido de liberdade de Andrea Neves, irmã do tucano, na semana passada.

Na ocasião, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux votaram pela manutenção da prisão preventiva. Marco Aurélio e Alexandre de Moraes votaram pela revogação da cautelar.

A Primeira Turma vai começar a discutir nesta tarde os dois pedidos relacionados ao tucano: o de prisão, feito pela Procuradoria-Geral da República, e o de anulação do afastamento do Senado, feito pelos advogados. 

Na sessão, os ministros também devem julgar os pedidos das defesas da irmã de Aécio, do primo Frederico Pacheco e do ex-assessor parlamentar Mendherson Souza Lima, que foram presos preventivamente por decisão do ministro Edson Fachin. As defesas pedem a revogação das ordens de prisão.

Tudo o que sabemos sobre:
aécio neves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.