André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Marco Aurélio autoriza PF a enviar aos EUA celulares de investigados ligados a Aécio

Motivo é buscar o desbloqueio dos eletrônicos, que estão protegidos por senha; pedido foi feito por delegado do núcleo da Lava Jato na PF

Breno Pires e Rafael Moraes Moura, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2017 | 18h42

BRASÍLIA - O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a Polícia Federal a enviar para análise nos Estados Unidos dois celulares e outros aparelhos eletrônicos apreendidos em operação que investiga o senador Aécio Neves (PSDB-MG) no âmbito da Operação Patmos, originada na delação do Grupo J&F. O motivo é buscar o desbloqueio dos eletrônicos, que estão protegidos por senha.

+++ 'Aqui não há uma dúvida razoável', diz Fux sobre provas contra Aécio

+++ Medida cautelar contra parlamentar gera quadro de inconstitucionalidade, diz Maia

O pedido partiu do delegado Josélio Azevedo de Sousa, que coordena as investigações do Núcleo Político da Lava Jato na PF. Ele afirmou que o Instituto Nacional de Criminalística não conseguiu o desbloqueio e, por isso, é necessária a remessa do material "à sede da empresa responsável pelo equipamento de extração de informações nos Estados Unidos da América". O delegado disse também que um perito tem viagem marcada para levar os aparelhos. A Procuradoria-Geral da República não se opôs ao pedido.

+++ Supremo afasta Aécio do Senado e impõe a ele 'recolhimento noturno'

"Defiro o pedido formulado pela autoridade policial, autorizando o encaminhamento do material apreendido para verificação da viabilidade de extração dos dados no exterior, sem prejuízo de os detentores dos aparelhos virem a fornecer, espontaneamente, colaborando para o esclarecimento dos fatos, as senhas necessárias ao acesso pretendido", decidiu Marco Aurélio Mello.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.