Marcílio elogia herança empresarial de Rolim

O ex-ministro da Fazenda, consultor-senior da Merril Lynch e presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Marcílio Marques Moreira, foi surpreendido pela notícia da morte do fundador da TAM em acidente de helicóptero no Paraguai. "O comandante Rolim deixará uma lacuna, mas também deixa como herança um grande trabalho empresarial, ao conseguir despontar com a TAM no mercado de aviação", disse Marcílio à Agência Estado. O ex-ministro da Fazenda contou que admirava o trabalho do presidente da TAM, mas não chegou a se tornar seu amigo. Marcílio lembrou que Rolim, à frente da TAM, estava pavimentando a conquista de market share (fatia de mercado), que incomodou a líder do setor, a Varig. "A TAM é a única empresa do País que pode ameaçar essa liderança", lembrou o economista. Ele frisou que o fundador da TAM desenvolvia um excelente projeto voltado sempre, em primeiro lugar, para seus clientes. "O cliente da TAM é sempre tratado a pão-de-ló", afirmou Marcílio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.