Marcelo Neves vence disputa para uma vaga no CNJ

Após votação acirrada em dois turnos, o professor de Direito Marcelo Neves venceu a disputa pela indicação do Senado para uma vaga no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Mas a vitória deve ser comemorada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, que trabalhou publicamente pela indicação de Neves e chegou a trombar com lideranças do DEM e do PSDB. Marcelo Neves obteve o mínimo de votos necessários para ser o indicado - 41. Contou para isso com o apoio das lideranças governistas, além do patrocínio de Mendes.

FELIPE RECONDO, Agencia Estado

17 de junho de 2009 | 23h03

O segundo colocado, o advogado Erick Pereira, que tinha os líderes do DEM, José Agripino (RN), e do PSDB, Arthur Virgílio (AM), como seus principais apoiadores, obteve apenas 20 votos e saiu derrotado. A confusão em torno da indicação começou quando o presidente do STF e o governo decidiram intervir na disputa. Até esse momento, Erick Pereira era o favorito por reunir o apoio dos líderes dos principais partidos, incluindo o PT, PMDB, PSDB e DEM.

A vitória iminente de Erick Pereira, filho do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TST) Emmanoel Pereira, com currículo considerado mais fraco frente aos demais candidatos, provocou a movimentação do Ministério da Justiça e do ministro do STF.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçãoCNJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.