Maranhão nega que BB tenha deixado de entregar dados à CPI

O presidente do Banco do Brasil, Rossano Maranhão, afirmou que a instituição "não deixou de entregar nenhuma informação à CPI dos Correios em relação ao caso VisaNet". Ele explicou que o resultado da auditoria do contrato da VisaNet com o Banco do Brasil já foi entregue à CPI e "amplamente divulgado". Maranhão destacou que a CPI pediu informações adicionais sobre o contrato. Ele acrescentou que o BB está dentro do prazo para enviar tais informações aos parlamentares.Na última quarta-feira, o relator da CPI dos Correios, deputado Osmar Serraglio, reclamou de dificuldades que o Banco do Brasil estaria criando para dar informações à CPI sobre o caso VisaNet. "Estão querendo dificultar o nosso acesso aos dados. Vou pedir a convocação dos diretores do Banco para que eles venham aqui esclarecer e detalhar todos os pontos que não foram respondidos. Estou muito insatisfeito porque estão dificultando o nosso trabalho", disse Serraglio na semana passada.Rossano Maranhão afirmou que o problema da crise política não afetou o Banco "embora tenha drenado certo nível de energia" pelo fato de o BB ter deixado algumas pessoas à disposição da CPI. "Conseguimos superar com tranqüilidade esta questão. O Banco é muito grande para que isso afete seu resultado", disse.Em 2005, os gastos de publicidade do BB somaram R$ 172 milhões ante R$ 264 milhões em 2004. Essa queda, de acordo com o presidente do BB deveu-se ao fato de que houve um redesenho de todo o processo de aprovação dos investimentos em publicidade. "Isso naturalmente reduz os recursos aplicados na área", ressaltou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.