Mão Santa deve entrar com dois recursos contra cassação

O advogado do governador Mão Santa, do Piauí, Eduardo Alckmin, informou esta manhã que deve encaminhar dois recursos à Justiça contra a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que cassou, ontem à noite, o mandato do seu cliente. "Vamos ter uma reunião para definir o que fazer. Mas em princípio podemos entrar com um embargo no TSE e com um recurso extraordinário no STF (Supremo Tribunal Federal)", afirmou o advogado. Alckmin entende que durante o julgamento de ontem os ministos do TSE deixaram de examinar algumas argumentações do governador. Uma delas envolveu o episódio de apreensão de remédios no comitê de campanha de Mão Santa. O advogado argumenta que com a apreensão não houve a cooptação de eleitores. Além disso, segundo o advogado, o TSE deveria ter adotado o mesmo procedimento de julgamentos anteriores, calculando a potencialidade da infração, levando em consideração o volume de remédios apreendidos em relação ao número de votos que elegeram o governador. Eduardo Alckmin entende que o governador não precisa deixar o mandato imediatamente. Acha que ele só deve sair do governo quando não couber mais recurso. Ontem, no entanto, o TSE informou que o governador tem que deixar imediatamente o cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.