Mão Santa compara Marco Aurélio Mello a Salomão

O governador cassado do Piauí, Francisco de Assis de Moraes Souza, o Mão Santa, não conseguiu explicar por que pediu para ser recebido em audiência pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Marco Aurélio Mello. Ele ficou 20 minutos no gabinete do ministro e, ao sair de lá, limitou-se a comparar o ministro ao Rei Salomão, a dom Quixote de La Mancha e a repetir que o considera "uma das maiores inteligências do País". "Depois de Deus, é ele quem me inspira confiança", afirmou. "Acho até que o Rei Salomão se incorporou nele".Mão Santa disse que Marco Aurélio o orientou como agir para retomar o governo, mas a assessoria do ministro desmentiu a informação. O encontro teria se limitado à exposição feita pelo ex-governador e a um único comentário do ministro, quanto ao fato de o problema do Piauí estar restrito à Justiça Eleitoral. O governador cassado disse que está lutando para reassumir o Palácio de Karnak "pelo povo do Piauí" e pelo vice, que deveria substituí-lo quando ele se desincompatibilizar para concorrer ao Senado. "Serei o senador mais votado do País", prometeu.Sobre a decisão unânime do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de cassar seu mandato por abuso econômico, Mão Santa disse que não guardava nenhum rancor dos ministros, mesmo convencido de que eles teriam agido sem analisar os fatos devidamente. "Errar é humano", afirmou, referindo-se ao membros do TSE . Ainda no STF, ele aproveitou para fazer uma louvação ao amor, ao declarar que "a vida se resume em acreditar no amor, porque ?solamente? o amor engendra maravilhas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.