Manuela d'Ávila diz que não vai se candidatar novamente à Câmara

Deputada disse que vai disputar uma vaga na Assembleia Legislativa gaúcha em 2014 para ficar mais próxima da 'população e da militância'

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

16 Setembro 2013 | 17h10

Atualizada às 18h15

A deputada gaúcha Manuela d'Ávila (PC do B) anunciou nesta segunda-feira, 16, pelo Twitter, que não vai se candidatar a um novo mandato na Câmara no ano que vem. No texto publicado em seu site, ela disse que, depois de conversar com o partido, tomou a decisão de concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

"Tenho muita vontade de devolver ao meu Estado a experiência que acumulei nesses dois mandatos em Brasília", afirmou ela, que está no seu segundo mandato como deputada.

"A situação do Rio Grande exige atenção e estou disposta a dar minha contribuição. Acredito que a política deve ser espaço de renovação, e que o meu Estado e a minha cidade - Porto Alegre - poderão contar ainda mais comigo se estiver mais próxima do que hoje estou. E eu ficarei feliz militando fisicamente mais perto da população e dos movimentos sociais", explicou.

Ao Estado, Manuela disse que considera ter cumprido um ciclo da sua vida política e que está sendo coerente com o que sempre defendeu, que é a renovação dos quadros políticos.

Afirmou ainda que a vontade de ficar mais próxima da população gaúcha não tem a ver com uma nova candidatura à Prefeitura de Porto Alegre, em 2016.

No ano passado, Manuela ficou em segundo lugar na disputa, derrotada por José Fortunati (PDT), que tentava a reeleição. Foi a segunda vez que concorreu ao cargo.

"Eu jamais pensei em 2016. Estou pensando única e exclusivamente no cargo ao qual eu me dispus disputar (o de deputada estadual)", disse.

Atualmente,  Manuela é líder da bancada do PC do B na Câmara. No currículo também ostenta o título de vereadora mais jovem da história de Porto Alegre e de ser, nas duas vezes em que concorreu, a deputada mais votada do Rio Grande do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.