Mantega rechaça validade de acusação sobre dossiê

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, desclassificou o suposto "dossiê" que o acusa de tráfico de influência dentro do Banco do Brasil, para auxiliar interesses de sua filha, a atriz, modelo e apresentadora Marina Mantega, e o namorado dela, Ricardo Staub, sócio da Gradiente. "Você daria crédito a uma carta apócrifa? Não faz nenhum sentido dar crédito a cartas apócrifas que não trazem nada de substancial", afirmou.

SABRINA VALLE, Agência Estado

06 de agosto de 2010 | 14h56

O ministro se refere a duas cartas anônimas que supostamente teriam sido escritas por integrantes do PT, e que acusam a filha do ministro de ter se reunido com o vice-presidente de Cartões do Banco do Brasil, Paulo Rogério Caffarelli. O motivo dos encontros seria o de ajudar o namorado de Marina para captar recursos voltados para a Gradiente. O ministro deu as declarações hoje pela manhã em evento da Casa da Moeda, no Rio de janeiro, que inaugura novo maquinário para produção de cédulas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.