Mantega: PSDB e governo definiram agenda sobre CPMF

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou hoje que a reunião com os senadores do PSDB foi o início do entendimento entre o governo e os tucanos para construir uma proposta de interesse comum em torno da prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Mantega disse que foi construída uma agenda, mas que nenhum número foi colocado na mesa. Agora, disse ele, ambos os lados irão consultar suas bases e voltarão a se reunir na próxima semana. "Na semana que vem, já poderei me posicionar sobre várias questões", disse.Um dos itens que compõem a pauta de convergência é o aumento dos recursos para a Saúde. Segundo ele, está sendo discutida a possibilidade de aumentar o porcentual de recursos da CPMF destinados ao segmento. Outra proposta discutida com senadores tucanos, contou Mantega, é a redução da carga tributária ou por meio da CPMF ou de forma indireta, como a desoneração da folha de pagamento das empresas.O ministro disse, no entanto, que não concorda com a proposta do PSDB de prorrogar a CPMF por apenas 12 meses para que neste prazo seja votada a reforma tributária. De acordo com o ministro, o governo tem todo o interesse em aprovar a reforma, mas prorrogar a CPMF por apenas 12 meses implicaria mudar a emenda que já foi aprovada pela Câmara dos Deputados que prorroga o tributo por mais quatro anos. "O problema é que teria que voltar a proposta para a Câmara e isso inviabiliza a prorrogação da CPMF em tempo hábil. Então, não podemos concordar com isso", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.