Mantega mantém corte de R$20 bi mesmo com aumento de receita

Embora o Congresso trabalhe com umanova estimativa de receita que reduza os cortes no Orçamentopara compensar o fim da CPMF, o ministro da Fazenda, GuidoMantega, manteve a redução de 20 bilhões de reais para 2008,disse o presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN). "Eu esperava uma boa notícia do ministro na medida em queuma reestimativa de receita poderia diminuir os cortes, mas nãofoi isso que ele me disse. O ministro me disse que o cortepermanece", disse Garibaldi Alves a jornalistas após receberMantega. Esta semana, o senador Francisco Dornelles (PP-RJ), relatorde receita do Orçamento, apresenta à Comissão Mista deOrçamento uma reestimativa da receita para 2008. Versões quecirculam no Congresso falam numa estimativa para cerca de 700bilhões de reais, 22 bilhões de reais acima do previsto. Diante dessa estimativa, o Congresso esperava reduzir de 2bilhões de reais a 4 bilhões de reais o corte inicialmenteprevisto de 20 bilhões de reais. Para compensar a perda de uma receita estimada em 40bilhões de reais com a não renovação da CPMF, o governo decidiucortar 20 bilhões de reais de suas próprias despesas, aíincluídas as emendas parlamentares. Os outros 20 bilhões dereais viriam do aumento de receita e da elevação do Impostosobre Operações Financeiras (IOF) e da Contribuição Socialsobre o Lucro Líquido (CSLL). Mantega disse que foi ao Congresso para uma "visita decortesia" e para apresentar algumas idéias de pauta do governo.Segundo Garibaldi, o ministro lhe apresentou um cronograma detramitação da reforma tributária ainda no primeiro semestre. "Esse cronograma só é realista com base nas pretensões dogoverno, porque reforma tributária chega de um jeito e podesair de outro, todos sabemos", disse o presidente do Senado.(Texto de Mair Pena Neto)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.