Mantega evita comentar reajuste salarial de parlamentares

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, evitou comentar a decisão da Mesa do Congresso de elevar os salários dos parlamentares de R$ 12.847 para R$ 24,5 mil, teto do Supremo Tribunal Federal (STF). "Prefiro não comentar essa decisão", disse Mantega, em um raro momento em que evita dar declarações. Ele disse apenas que o pacote fiscal sai na próxima semana e que ainda faltam alguns detalhes a serem fechados antes da divulgação. Mantega também não quis comentar a decisão da CVM de condenar o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Júlio Sérgio Gomes de Almeida, num processo sobre irregularidades na gestão do Banespa de 1990 a 1994. Almeida foi vice-presidente da instituição paulista em 1990 e 1991 e a investigação da CVM concluiu que ele foi negligente na gestão do banco. Para não comentar, o ministro alegou que o processo não está em última instância.

Agencia Estado,

14 Dezembro 2006 | 15h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.