Mantega diz que governo já tem votos para aprovar CPMF

Ministro disse ainda que alguns senadores da oposição irão votar na prorrogação do tributo 'por convicção'

Renata Veríssimo e Adriana Fernandes,

26 de novembro de 2007 | 16h05

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta segunda-feira, 26, que o governo tem os votos necessários para a aprovação da emenda que prorroga a CPMF até 2011. Ele disse que alguns senadores da oposição irão votar por convicção na CPMF. Mantega negou que o governo já esteja estudando a redução do superávit primário caso não seja prorrogado o tributo. "Como eu acredito na aprovação da CPMF, nós não estamos estudando um plano B. Mas é bom que saibam que sem a CPMF haverá perdas", disse. O governo precisa de 49 votos no Senado.  Veja também: Entenda a cobrança do imposto do cheque Pela CPMF, Mantega acena com mais recursos para EducaçãoTião Viana diz que há tempo para votar caso Renan e CPMF O ministro afirmou que o governo está segurando a votação do Orçamento de 2008, esperando a votação da CPMF. Segundo ele, sem os recursos do tributo, o governo terá de cortar emendas e outros programas do orçamento. De acordo com Mantega, o superávit primário também pode ser afetado. Duas medidas provisórias (MP) que estão trancando a pauta do Senado poderão ser votadas em sessão nesta segunda-feira, 26. As duas medidas impedem a votação em primeiro turno da proposta de emenda à Constituição que prorroga até 2011 a cobrança da CPMF.   O ministro anunciou também que o governo vai esperar a votação da CPMF para enviar a proposta de reforma tributária ao Congresso Nacional. Ele explicou que o adiamento está ocorrendo a pedido dos próprios líderes governistas. "A reforma tributária está pronta e fica na gaveta. Vamos nos empenhar para aprovar a CPMF", disse. Vale lembrar que o envio da reforma tributária até o dia 30 deste mês era um compromisso do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com os senadores, quando estes fecharam um acordo da votação da CPMF na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Educação entra na CPMF A líder do PT no Senado, senadora Ideli Salvatti (SC), informou nesta segunda-feira ao chegar ao Ministério da Fazenda que o ministro Guido Mantega acenou com a possibilidade de mais recursos para a Educação, nas negociações com que tenta aprovar a emenda constitucional que prorroga até 2011 a cobrança da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). O encontro abre uma nova etapa nas negociações para o governo garantir os votos necessários à aprovação da CPMF.  A senadora rejeitou a avaliação de que o governo entrou em um "vale-tudo" para aprovar a CPMF. Ela admitiu que o governo ainda não tem os votos necessários. "Não temos, mas vamos ter", declarou. O governo, nas negociações, já acertou uma ampliação dos recursos para a Saúde, concedendo ao setor R$ 24 bilhões adicionais em quatro anos. var keywords = ""; 

Tudo o que sabemos sobre:
Guido MantegaCPMF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.