Mantega discutirá com oposição para prorrogar tributo

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou ontem que o governo não abrirá mão da alíquota de 0,38% da CPMF e disse que vai negociar pessoalmente com os partidos de oposição a desoneração da folha de pagamentos das empresas em troca da manutenção da contribuição."No futuro, poderemos até reduzir a CPMF, mas no presente acho mais importante reduzirmos outros tributos que têm uma importância maior para o crescimento", disse o ministro, após sua palestra na premiação Melhores e Maiores, da revista Exame.Mantega citou também o lucro histórico dos bancos: "É lógico que a Receita Federal vai receber um bom pedaço desse lucro e o governo o devolverá em forma de serviços à sociedade." O comentário arrancou risos da platéia de empresários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.