Mantega debaterá reforma tributária com bancada do PMDB

Ministro da Fazenda foi convidado nesta quarta-feira pelo líder do partido na Câmara, Henrique Alves

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

05 de março de 2008 | 18h30

O ministro da Fazendo Guido Mantega recebeu, na tarde desta quarta-feira, 5, o relator da proposta de reforma tributária na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), o presidente da CCJ Eduardo Cunha(PMDB-RJ) e o líder do PMDB na Câmara Henrique Alves (RJ). Alves informou que convidou o ministro Guido Mantega para participar, na terça-feira, de um debate sobre a reforma tributária com a bancada do PMDB na Câmara. Ao deixar o encontro, Picciani informou que deve apresentar seu relatório em dez dias, para que possa ser colocado em votação na CCJ. Ele disse que recebeu o texto ontem, mas que numa análise geral percebeu que na sua "imensa maioria, o texto não tem problemas". Na avaliação de Eduardo Cunha, não deve haver complicação para votar a emenda constitucional na CCJ, ele acredita que a discussão será mais longa quando a reforma tributária chegar à Comissão Especial que será criada para debater o assunto, nesta comissão, informou o deputado, o prazo para a votação é de 40 sessões. O líder do PMDB Henrique Alves disse que o mais provável é que o deputado Sandro Mabel seja indicado o relator da Comissão Especial. Os governadores do partido serão convidados para participar do encontro. Segundo Henrique Alves, o ministro já confirmou a sua presença. "Será a primeira discussão do governo com o PMDB", disse o líder lembrando que a reforma tributária sempre foi uma das bandeiras do partido. Picciani contou que Mantega pediu celeridade na tramitação da reforma tributária para que ela seja aprovada ainda em 2008 mesmo sendo um ano eleitoral. O líder do PMDB disse que ele próprio já está negociando com a oposição um "acordo de procedimento" para dar agilidade na votação da reforma.

Tudo o que sabemos sobre:
reorma tributáriaFazenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.