Mantega confirma liberação de R$ 200 mi para emendas

O governo liberou hoje R$ 200 milhões para o pagamento de emendas individuais dos parlamentares ao Orçamento deste ano, começando a cumprir a exigência da base aliada de ver sair do papel o dinheiro que eles destinaram a obras e serviços em seus redutos eleitorais. Portaria no ministro do Planejamento, Guido Mantega, prevê que R$ 100 milhões serão distribuídos entre nove ministérios - o da Cidades e o da Integração Regional ficarão com a maior parte das verbas. Os outros R$ 100 milhões serão para emendas na área de Saúde.Segundo Mantega, o governo vai liberar mais R$ 428 milhões para emendas de parlamentares na semana que vem. "A perspectiva é que na próxima semana estejam sendo liberados em torno de R$ 400 milhões e até o final do ano mais R$ 200 milhões, totalizando R$ 600 milhões. Portanto, do total de R$ 1,2 bilhão de emendas de parlamentares, metade estará liberada, paga e executada até o final deste ano. A outra metade vai para os restos a pagar", explicou Mantega, depois de se reunir com o presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP).Mantega assegurou que não se sente culpado pela paralisia da Câmara que, em represália ao atraso do governo na liberação das emendas, não votou nada esta semana. "Não faço mea culpa pela paralisia do Congresso. Não é da minha responsabilidade se houve paralisia", disse o ministro, ao observar que as eleições municipais foram a principal razão pelos parlamentares não terem trabalhado nos últimos meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.