Manifesto pró-Dilma vira pró-Serra na web

Segundo petistas, mensagem foi 'adulterada'; ministro do Esporte e presidente do Corinthians são alguns dos nomes citados

Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

24 de outubro de 2010 | 20h30

Um manifesto pró-Dilma Rousseff, acompanhado de uma lista de nomes de autoridades e figuras ligadas à área de esporte, foi "adulterado" e transformado em documento pró-José Serra, acusam petistas. A mensagem modificada, que circula pela internet, defende o voto no tucano, reunindo os nomes do ministro do Esporte, Orlando Silva, da deputada federal Manuela d'Ávila (PC do B-RS) e do presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, entre outros.

 

A existência do manifesto original foi confirmada por três pessoas da lista: a deputada Manuela, o ex-jogador de futebol Bobô e o ex-campeão mundial de boxe Acelino "Popó" Freitas. Todos defendem o voto em Dilma. O ministro Orlando Silva não foi localizado pela reportagem.

 

Segundo Manuela, haverá um lançamento regional do manifesto pró-Dilma em Porto Alegre, no dia 28, sem a participação da presidenciável. A coleta de assinaturas teria começado há cerca de 10 dias, a partir de contatos da militância por telefone e e-mails. O objetivo, afirma "Popó", era criar uma corrente de mensagens, permitindo que o manifesto chegasse a diversos contatos da rede mundial de computadores.

 

"Fiquei surpreso, hoje não se tem mais controle sobre essas coisas", disse ao Estado o ex-boxeador, que concorreu a deputado federal nestas eleições pelo PRB baiano. "Ando para cima e para baixo com o meu carro, que tem adesivo da Dilma."

 

O manifesto, convertido em pró-Serra, foi enviado por um suposto Marcelo Dutra. O Estado enviou e-mail ao remetente da mensagem "adulterada", mas não obteve resposta.

 

A versão pró-Serra traz modificações pontuais à original. Já no início, diz que "atletas, dirigentes, profissionais de educação física e amantes do esporte nos unimos para apoiar José Serra", enquanto na original é citado o nome de Dilma. Em outro trecho, ao mencionar o programa Bolsa Atleta e a Lei de Incentivo ao Esporte, o texto afirma que essas ações foram "grandes conquistas do governo do PSDB".

 

O primeiro manifesto diz que "não podemos voltar ao tempo em que o esporte era departamento de outro ministério, tratado como política pública de segunda categoria". A nova redação alfineta Dilma: "Assinamos este manifesto convencidos de que não podemos submeter o nosso país a uma pessoa despreparada e totalmente fora da lei".

 

Na semana passada, o cineasta José Padilha (de Tropa de Elite 2) negou apoio a qualquer uma das candidaturas que disputam o segundo turno na eleição presidencial. O nome dele foi incluído em manifesto com relação de artistas que apoiam Dilma.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010webmanifestoDilmaSerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.