DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Manifesto petista pede que Educação volte para a sigla

Parlamentares do partido entregaram documento à presidente Dilma Rousseff para que pasta fique com a sigla

Ricardo Della Coletta, O Estado de S. Paulo

26 de março de 2015 | 21h56

Brasília - Quatorze deputados e senadores do PT assinaram nesta quinta-feira, 26, carta à presidente Dilma Rousseff defendendo que a titularidade do Ministério da Educação (MEC) retorne ao partido. O cargo está vago após Cid Gomes (PROS) bater boca com deputados no Congresso e, em seguida, deixar o governo. 

“Com a saída do ex-governador Cid Gomes do ministério e com o intuito de contribuir com o governo, solicitamos à direção partidária que renove nosso apelo de que devemos trabalhar para que a titularidade do MEC volte às mãos de um representante qualificado do Partido dos Trabalhadores”, diz a carta assinada pelos petistas. 


A coordenadora do grupo de educação do PT, senadora Fátima Bezerra (RN), entregou a carta ao chefe de gabinete de Dilma, Álvaro Henrique Baggio. O texto reedita um movimento feito pelos petistas após a reeleição da presidente, quando eles defenderam a permanência do MEC – pasta comandada pelo PT desde 2003 – com a legenda. A presidente acabou nomeando Cid. 

Embora entre os petistas circulem nomes apoiados pelo partido para assumir o MEC, os parlamentares não indicam qualquer nome no documento. 

Outro destino. Apesar da pressão dos petistas, a pasta pode ser entregue ao PMDB, na tentativa do Planalto de recompor a parceria com o principal partido aliado. O nome mais citado é o do secretário de Educação de São Paulo, Gabriel Chalita. 

Tudo o que sabemos sobre:
Ministério da EducaçãoCid GomesPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.