Manifestantes presos em Belo Horizonte sobem para 21

Com a prisão de 21 pessoas nos protestos da tarde deste sábado, em Belo Horizonte, os manifestantes se dirigiram para a delegacia onde eles estavam detidos, no Barro Preto, região Central, e houve novos confrontos com a polícia. Uma mulher também foi ferida por estilhaços de bomba. Na porta da Área Integrada de Segurança Pública (1ª AISP), cerca de 50 pessoas pediam sua liberação. A PM usou balas de borracha para dispersar o grupo, bombas de gás lacrimogênio e spray de pimenta. Advogados dos detidos estão na delegacia acompanhando os interrogatórios.

ALINE RESKALLA, Agência Estado

07 de setembro de 2013 | 19h25

A advogada voluntária dos manifestantes, Desirêe Marchetti, afirmou que viu cerca de 15 pessoas em uma sala da delegacia, dois com algemas. Segundo ela, as algemas eram desnecessárias porque eles já estavam rendidos. A PM não se manifestou ainda sobre as prisões.

Um repórter do jornal O TEMPO foi agredido com cassetete por um policial enquanto filmava os confrontos com seu smartphone. Lucas Simões, 22, contou que, de repente, veio um grupo de policiais gritando "dispersa, dispersa", e algumas pessoas foram revistadas. Em seguida, um PM veio em sua direção com o cassetete em punho e bateu em sua mão, derrubando o celular e o ofendendo. "Não foi nada grave, só fiquei com o dedo roxo, mas achei arbitrário. Eu me identifiquei, mas não adiantou", afirmou o repórter. Neste momento, a situação é mais tranquila no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.