Manifestantes pedem volta de Iruan ao Brasil

Entidades de direitos humanos aproveitarão a visita, do presidente de Taiwan, Chen Shui-Bian, ao Paraguai, para fazer um protesto pedindo a repatriação do menino brasileiro Iruan Ergui Wu, retido na ilha pelos tios paternos, desde março. Na terça-feira o diplomata Paulo Pereira Pinto, chefe do Escritório Cultural e Comercial do Brasil em Taiwan, informou à família brasileira que será necessário contratar um advogado taiwanês para encaminhar o processo de repatriação. "Ele disse que a Justiça deu parecer favorável a nós, mas que teríamos de constituir um advogado lá", afirmou a tia brasileira, Patrícia Ergui, que vive em Canoas (RS).O advogado deverá ser pago pelos empresários do Taiwan, disse Pereira Pinto. Eles estão preocupados com os possíveis prejuízos do episódio aos negócios, pois ONGs de direitos humanos iniciaram uma campanha de boicote aos produtos taiwaneses. No jogo de hoje do Grêmio contra o Coritiba, em Porto Alegre, será fixada uma faixa no Estádio Olímpico, com a frase: "Até a volta de Iruan, não compre nenhum produto fabricado em Taiwan". Taiwan é considerada pela China uma província rebelde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.