CRIS FAGA/FOX PRESS PHOTO
CRIS FAGA/FOX PRESS PHOTO

Manifestações em cidades brasileiras pedem saída de Cunha

Protestos foram organizados pelo grupo Levante Popular da Juventude e estão previstos em ao menos 11 municípios

Antônio Carlos Garcia, Carmen Pompeu e Diego Emir, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

23 Novembro 2015 | 19h59

Atualizada às 20h46

Manifestações contrárias ao presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ocorrem pelo País nesta segunda-feira, 23. Os protestos foram convocados nas redes sociais pelo grupo Levante Popular da Juventude e estão previstos para ocorrer em ao menos 11 cidades. Nos locais onde os atos já começaram, manifestantes dos grupos LGBTs, Negritude e Mulheres também estiveram presentes.

São Paulo. Cerca de 200 pessoas, segundo os organizadores, se reuniram em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp). Eles participaram de oficinas de instrumentos de percussão e encheram centenas de balões com faixas com os dizeres "Fora Cunha". "Fizemos rodas de conversas sobre a situação de Eduardo Cunha, sobre pororque derrubar Cunha e o que ele representa para a sociedade brasileira", disse  a estudante de Direito, Laryssa Sampaio, uma das organizadoras. Em seguida, o grupo fechou a Avenida Paulista por cerca de 10 minutos e soltaram as centenas de balões que pediam a saída do presidente da Câmara. 

Segundo Laryssa, a ideia dos protestos é "colocar de novo Cunha na berlinda". O protesto, diz a estudante, foi marcado para esta segunda-feira, 23, como forma de pressionar os parlamentares do Conselho de Ética a votarem favoravelmente do parecer do deputado Fausto Pinato (PRB-SP), que votou pena admissibilidade do pedido de cassação de Cunha. A sessão do colegiado está marcada para esta quarta, 24.  "Será uma forma de pressionar o Conselho de Ética a a pedir a cassação do mandato dele”, disse.

Aracaju. Integrantes do Levante Popular da Juventude se reuniram na praça Fausto Cardoso, no centro de Aracaju, para pedir a saída de Cunha da Câmara. Segundo os organziadores, a mobilização feita nas redes sociais atraiu cerca de 20 pessoas na capital sergipana. A Polícia Militar não fez estimativa sobre o número de pessoas presentes. O grupo, no entanto, não deixou de chamar a atenção de quem passava. Vestidos com camisetas pretas e tocando tambores, eles gritavam "Cunha, saía daê, o povo não quer você!

"Cunha significa o retrocesso. Nos causa indignação a presença dele na Câmara Federal", disse Marina Lima, uma das integrantes do grupo. A organização promete outras mobilizações, mas ainda não há data prevista para o próximo ato.  "Nós vamos resistir, até Cunha cair", disseram.

O local escolhido para a concentração fica na área mais central da capital sergipana, em frente ao Palácio Museu Olímpio Campos, antiga sede do governo do Estado. No chão, estenderam um faixa com os dizeres "Fora Cunha".

Fortaleza. O protesto 'Fora Cunha' em Fortaleza ocorreu à tarde na Praça da Bandeira, em frente à Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC), no centro da capital cearense. Participaram da manifestação estudantes universitários e do ensino médio, representantes dos movimentos LGBTs, Negritude e Mulheres que portavam cartazes com frases como "Eduardo Cunha: Inimigo do Povo Brasileiro!", "O Brasil grita 'Fora Cunha'” e "Agora o Cunha cai". De acordo com a PM, cerca de 50 pessoas estavam presentes. 

São Luís. Na capital maranhense, jovens do movimento Levante Popular também protestaram pela saída de Cunha. Eles se dizem contrários à forma do parlamentar conduzir a Câmara. Os manifestantes esperavam receber pelo menos 80 apoiadores no ato na praça João Lisboa, centro de São Luís.

Cuiabá. Representantes de diversos movimentos populares realizaram manifestação contra o presidente da Câmara em Cuiabá. A concentração começou por volta das 18 horas.

"Para os jovens, Cunha é a expressão máxima de descompasso política do país”, afirmou a militante do movimento jovem Levante Popular da Juventude/MT, Aleth Amorim. Segundo ela, é necessário que a população reflita “sobre os retrocessos que tramitam no Congresso e que venha somar as lutas do Fora Cunha”.

O movimento reuniu cerca de 60 pessoas na praça Bispo Dom José, na região central da cidade. Além de representantes do Levante Popular da Juventude, estiveram presentes integrantes da Frente Brasil Popular, LGBT, movimento Mulheres Negras, CUT, SINTEP-MT, Consulta Popular e outros. O número de pessoas foi estimado pelos organizadores. A PM local não deu estimativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.