Manifestantes apóiam radicais na reunião da Executiva do PT

O PT está realizando hoje, na capital paulista, reunião da Executiva Nacional que vai referendar a posição do partido em relação às reformas e decidir a posição que será tomada em relação aos parlamentares da ala radical. Antes do início da reunião, um grupo de manifestantes, formado basicamente por aposentados e servidores públicos simpatizantes do PT, defendia a postura dos radicais. "É Lula lá, é nós aqui e a esquerda do PT vai resistir."Os deputados João Batista de Araújo (PA), o Babá, Luciana Genro (RS) e a senadora Heloísa Helena (AL) garantiram que não pretendem recuar nas críticas às reformas encaminhadas pelo governo ao Congresso. "Não podemos votar a favor dessas reformas", reiterou Luciana Genro. O presidente do partido, José Genoino, e o senador Aloízio Mercandante, chegaram para a reunião, porém, não concederam entrevista.Já o senador Eduardo Suplicy (SP) ficou apenas alguns minutos na reunião e, na saída, disse que o seu desejo é que o embate entre os radicais e o partido seja resolvido de forma conciliatória. "Todos precisamos uns dos outros e o debate de idéia sempre foi nossa tradição", defendeu o senador.O presidente do PT, José Genoino, e outros líderes querem que a Executiva defina a abertura de uma comissão de ética para enquadrar os radicais. Já os parlamentares contrários às reformas querem a realização de um plebiscito interno no partido para definir uma posição com relação às reformas. A reunião da Executiva nacional do partido começou às 10h e deverá se estender até o final da tarde de hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.