Valmar Hupsel Filho/Estadão
Valmar Hupsel Filho/Estadão

Manifestantes anti-Lula marcham em direção a ato petista em Curitiba

Ex-presidente fará ato de enceramento de sua caravana pelo Sul do País na capital paranaense

Valmar Hupsel Filho, enviado especial, O Estado de S.Paulo

28 Março 2018 | 17h53

CURITIBA - Cerca de 200 pessoas que se reúnem neste momento na Praça Dezenove de Dezembro, no Centro de Curitiba, em um protesto contra a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, marcharam para tentar chegar o mais perto possivel da Praça Santos Andrade, onde o petista deve realizar o ato de encerramento de sua caravana pelo Sul do País. A distância entre os dois locais é de 750 metros. 

+ Presidenciáveis condenam ataques contra caravana do ex-presidente Lula

Do alto de um carro de som, um dos organizadores do protesto anti-Lula, vestido com a camisa com o rosto do juiz Sérgio Moro, perguntou aos manifestantes se queriam marchar até a praça Santos Andrade e a resposta foi positiva da grande maioria.

+ Bolsonaro: 'Lula quis transformar Brasil num galinheiro, agora colhe ovos por onde passa'

"É possível que não vamos conseguir chegar até a Praça mas vamos tentar. A polícia está do nosso lado", disse o consultor Marcos Silva, membro do grupo Amigos da Lava Jato. A ideia, diz, é chegar o mais perto possível do local onde se concentram apoiadores do ex-presidente. "Vamos fazer barulho para ele não conseguir discursar", disse. "Temos uma pegadinha para chegar perto: uma faixa com os dizeres Lula nosso eterno presidente", completou. 

+ Grupo de elite da Polícia Civil vai apurar tiros contra caravana de Lula

Os organizadores dizem que pretendem fazer um ato pacífico, mas ao menos um manifestante foi visto pela reportagem com o rosto coberto e uma caixa de ovos na mão.

A marcha é escoltada por oito homens da Polícia Militar. A PM fez um cerco no final da Rua Barão de Cerro Azul, ao lado da Praça Tiradentes, para evitar que manifestantes anti-Lula chegassem à Praça Santos Andrade. Muitos apitos e gritos de "Lula ladrão, seu lugar é na prisão."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.