Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Manifestante registra BO e diz que foi atropelado por carros de senadores

Estudante participou de protesto em frente ao Palácio da Alvorada nesta quarta-feira e alegou que um dos veículos seria do novo líder do governo no Congresso Romero Jucá; caso será investigado pela 5ª Delegacia de Polícia de Brasília

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

17 de novembro de 2016 | 20h27

Brasília - Um estudante que participou de um protesto em frente ao Palácio da Alvorada na noite de quarta-feira, 16, registrou um boletim de ocorrência alegando que foi atropelado por dois carros oficiais de senadores. Um dos veículos seria do novo líder do governo no Congresso, Romero Jucá (PMDB-RR). O outro do senador João Alberto (PMDB-MA).

As assessorias de imprensa dos dois parlamentares negam essa versão e afirmam que os manifestantes impediram as passagens dos carros e alguns chegaram a se jogar sob os veículos.

 

O caso vai ser investigado pela 5ª Delegacia de Polícia de Brasília. Segundo relatos de manifestantes que estavam no local, os carros dos senadores não diminuíram a velocidade quando se aproximaram da manifestação, o que teria causada o acidente.

O grupo foi até o Palácio da Alvorada protestar contra a proposta de emenda à Constituição que tramita no Senado e estabelece um teto para os gastos públicos. No momento, o presidente Michel Temer oferecia um jantar aos parlamentares da base para discutir o assunto.  

Outra manifestante, a professora Camila Tenório Cunha, também registrou um boletim de ocorrência acusando a segurança da Presidência da República de agredi-la durante a confusão.

Em nota, o senador João Alberto lamentou o que chamou de “incidente” e disse considerar os protestos de estudantes “legítimos” quando feitos “de forma pacífica e ordenada” “De fato, o que houve foi que um estudante ao se aproximar do carro do referido senador, se jogou sobre o capô, enquanto outros protestantes cercaram o veículo danificando um carro oficial”, disse.

Segundo o senador, o caso também foi registrado na Polícia Legislativa “para que sejam apuradas as responsabilidades”.

A assessoria de Jucá também afirmou que o carro do senador foi atacado, ficou com o capô amassado, e que o motorista do senador possui experiência para não reagir nestes momentos.

Procurada, a Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto disse que não iria comentar o assunto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.