Manifestações irritam deputados na votação do mínimo

As vaias e os protestos dos centenas de sindicalistas que ocupam as galerias da Câmara dos Deputados na sessão de votação do salário mínimo, na tarde de hoje, provocam irritação dos deputados. Com bandeiras da Força Sindical, da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), os sindicalistas vaiam os parlamentares que defendem a proposta do governo, de R$ 545,00, e aplaudem quem pede um valor maior para o salário mínimo.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

16 de fevereiro de 2011 | 17h06

Por volta das 16h, a irritação chegou aos microfones. "É preciso tomar alguma providência, isso aqui não é a casa da mãe Joana", reclamou um parlamentar.

O líder do PPS, Rubens Bueno (PR), saiu em defesa dos sindicalistas. Ele pediu que a frase fosse retirada dos autos e defendeu o direito de manifestação de quem acompanha a sessão. Enquanto isso, nas galerias, os sindicalistas puxaram um coro defendendo a "democracia".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.