'Manifestação ordeira pode ser até contra mim', diz Cunha

Presidente da Câmara considerou que os protestos deste domingo contra a presidente Dilma aconteceram 'dentro da normalidade'

Roberta Pennafort, O Estado de S. Paulo

17 de agosto de 2015 | 14h11

Rio - O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se reuniu nesta segunda-feira, 17, com o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), e, na saída, afirmou que as manifestações contra a presidente Dilma Rousseff, ocorridas no domingo em todo o País, aconteceram "dentro da normalidade". "As manifestações aconteceram dentro da normalidade, todos têm esse direito. Manifestação ordeira pode ser até contra mim, sem problemas", afirmou Cunha.

O presidente da Câmara e o governador se reuniram sozinhos, antes de um encontro de Pezão com 39 deputados federais do Rio e o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ). No encontro com a bancada do Rio, o governador tratou de emendas parlamentares com investimentos nas áreas de saúde e segurança, somando R$ 480 milhões.

Após a reunião com a bancada, Pezão reiterou sua preocupação com a governabilidade ao comentar o rompimento de Cunha com o governo. "Ele não está irredutível, fez as ponderações e colocações dele, mostrou que fez todos os esforços pela aprovação das medidas de ajuste fiscal", afirmou Pezão. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.