Manifestação em frente ao Incra acaba com dez feridos

Dez pessoas ficaram feridas durante um confronto entre a polícia e integrantes do Movimento Trabalho e Liberdade (MSL), em frente à sede do Incra de Brasília, na tarde desta quinta. O conflito ocorreu durante manifestação promovida pelo movimento, com cerca de 400 pessoas que reivindicavam rapidez na reforma agrária. Simultaneamente, 150 integrantes do movimento ocuparam dois andares do prédio. Durante a invasão, que durou quase três horas, duas portas de vidro foram quebradas e quadros, danificados."Em um ano de Incra, nunca vi uma reação como esta", afirmou o superintendente nacional de Desenvolvimento do Incra, Carlos Guedes e Guedes. Segundo ele, a invasão do prédio foi determinada pelos integrantes do movimento em um telefonema, feito do próprio prédio do Incra, durante uma reunião. Guedes contou que uma comissão com dez dirigentes do MSL estava reunida com ele e com a auditoria. "Não havíamos nem acabado de ler os itens da pauta, quando integrantes convocaram a invasão", disse Guedes.Os manifestantes afirmaram que a invasão foi uma resposta à violência cometida por policiais. "Eles chamaram reforço, que já chegaram batendo", disse. Muitos dos manifestantes exibiam marcas no corpo provocadas por cassetetes. Segundo integrantes do movimento, policiais também atiraram para cima e usaram bombas de efeito moral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.