Manifestação do 'Cansei' no RS reúne 200 pessoas

Cerca de 200 pessoas participaram hoje da manifestação convocada pelo movimento "Cansei" no Aeroporto Salgado Filho, de Porto Alegre. No Rio Grande do Sul, o protesto foi liderado pelo Instituto Liberdade e pelo Instituto de Estudos Empresariais e contou com a adesão de outro movimento formado depois do acidente com o Airbus da TAM, o Luto Brasil, e de alguns familiares de vítimas da tragédia. Em dois momentos do ato, alguns participantes gritaram "fora Lula!" em coro.Os manifestantes se reuniram no saguão de embarque, vestidos de preto e portando faixas e cartazes em que se diziam cansados de balas perdidas, governo paralelo dos traficantes, corrupção, crianças nas ruas, descaso das autoridades e omissão. Nos discursos, os organizadores sustentaram que é hora de a população saber para onde vai o dinheiro dos impostos que paga e começar a exigir direitos como segurança, saúde, infra-estrutura e gestão competente do Estado. No encerramento houve um minuto de silêncio pelas vítimas da Vôo 3054 e os manifestantes cantaram os hinos nacional e do Rio Grande do Sul.ConfusãoQuando a manifestação parecia encerrada, a industriária baiana Maria Auxiliadora Pinho de Carvalho pediu a palavra. No discurso, sugeriu solidariedade também às milhares de vítimas de acidentes rodoviários no Brasil, afirmou que o maior problema do País é a desigualdade e quando propôs que a classe média se disponha a abrir mão de privilégios, teve sua palavra cassada pelo corte do som do microfone. Logo se viu cercada e insultada por alguns manifestantes. Para acabar com o tumulto, agentes de segurança do aeroporto escoltaram Maria Auxiliadora para longe da manifestação. No trajeto ela disse que o "Cansei" não é democrático. "Não sou contra a classe média", afirmou. "O que eu gostaria é que ela fosse aumentada pela inclusão de mais pessoas". Logo depois entrou na área de embarque para viajar a Salvador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.