André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Manifestação convocada pela CUT no DF terminou com ato de apoio a Dilma

Mais cedo, Roberto Miguel, membro da direção nacional da CUT, havia dito que o ato não seria em defesa do mandato da presidente; à noite manifestantes entoaram grito a favor de Dilma

BERNARDO CARAM E DANIEL CARVALHO, O Estado de S. Paulo

13 de março de 2015 | 19h13

Brasília - Convocada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) para criticar, entre outros pontos, o ajuste fiscal do governo Dilma e defender a Petrobrás, a manifestação desta tarde em Brasília se mostrou, na prática, um ato em defesa do governo. Entre os gritos entoados neste noite na rodoviária da capital, na área central da cidade, estão "não vai ter golpe", "o povo na rua, Dilma continua", "olê, olê, olá, Dilma".

Mais cedo, Roberto Miguel, membro da direção nacional da CUT, havia dito que o ato não seria em defesa do mandato da presidente Dilma Rousseff, mas criticou movimentos contrários, que propõem até o impeachment. "Vamos defender a democracia e o resultado eleitoral", disse o sindicalista, no meio da tarde.


Na estimativa final da Polícia Militar, 800 pessoas se reuniram na rodoviária, para o ato. A CUT, por sua vez, apontou a presença de mil pessoas.

Embora convocada pela CUT, a manifestação contou com a apoio de outras entidades da sociedade civil. Participaram do ato representantes da Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), União Nacional dos Estudantes (UNE), Federação Única dos Petroleiros (FUP), além do apoio de partidos políticos como o PT, PcdoB e PCO.

Tudo o que sabemos sobre:
manifestaçõesCUTBrasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.