Manifestação alerta sobre os riscos das drogas

Em vez de apitar para avisar o usuário de drogas da chegada da polícia, recorrer ao apito para alertar o amigo sobre o perigo de usá-las. Essa era a mensagem de centenas de jovens de um projeto social que passaram a tarde de hoje distribuindo apitos em uma manifestação no Posto 9, na orla marítima de Ipanema, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro. O local não foi escolhido por acaso: foi ali, um dos mais conhecidos pontos de consumo público da erva na cidade, que surgiu, há anos, o hábito de apitar para denunciar a chegada de policiais e evitar o flagrante. Não houve polêmica com os usuários.Os manifestantes fazem parte do grupo Todos pela Paz, um projeto do governo estadual que envolve pessoas de comunidades carentes e um dos mais divulgados em peças de propaganda oficial. Além de distribuir os apitos, os jovens também entregaram folhetos com informações sobre clínicas populares de recuperação de usuários de drogas. "Tudo o eu que fazia na vida era cheirar. Por causa disso, perdi o amor da minha mãe e da minha mulher. Tive até uma overdose, mas, com o tratamento, estou limpo", contou Weber Vieira Filho, 24 anos, que participava da manifestação em Ipanema. Weber disse que ficou internado durante dois meses em uma das clínicas populares. Agora, quer ajudar alguns amigos a se livrar da dependência química. "A vida fica bem melhor", disse.Os jovens do Todos pela Paz recebem uma bolsa da Secretaria de Governo do Estado, no valor de um salário mínimo e meio. "O objetivo do projeto é aumentar a luta contra as drogas dentro de comunidades carentes, onde os jovens são mais vulneráveis", disse Damiana Tompakow, assessora da secretaria e uma das organizadoras da manifestação.Competição Outro protesto disputava a atenção dos banhistas no mesmo ponto da praia de Ipanema hoje. Liderados pelo deputado estadual Carlos Minc (PT), manifestantes perguntavam aos banhistas se eles concordam com a mudança na lei do barulho proposta pela Câmara dos Vereadores (ampliando o limite de 55 para 80 decibéis).Minc, que faz oposição ao governo estadual, aproveitou para criticar o protesto vizinho. "Esse tipo de manifestação só ajuda a aumentar ainda mais o estigma do usuário de drogas. Se eles usavam o apito para avisar sobre a chegada da polícia, era para evitar a extorsão de policiais corruptos", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.