Mandante da morte de Dorothy Stang voltará à cadeia

Acusado de ser o mandante do assassinato da missionária Dorothy Stang, o fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura terá de voltar para a prisão. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou hoje um pedido de habeas-corpus da defesa do fazendeiro que queria que ele permanecesse solto.

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agencia Estado

04 de fevereiro de 2010 | 18h23

Moura foi condenado a 30 anos de reclusão em regime fechado pelo Tribunal de Júri do Pará. Mas num segundo julgamento foi absolvido e colocado em liberdade. O Ministério Público conseguiu anular essa absolvição no Tribunal de Justiça do Pará. Uma nova prisão foi decretada. Por esse motivo, os advogados recorreram ao STJ. Porém, o tribunal rejeitou o pedido de liberdade.

Dorothy foi assassinada em fevereiro de 2005. Ela trabalhava na defesa de causas ambientais e dos trabalhadores sem-terra.

Tudo o que sabemos sobre:
Dorothy StangmorteSTJmandanteprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.