Mandante da morte de Dorothy espera 3 horas por prisão

O fazendeiro Regivaldo Galvão, o Taradão, passou três horas esperando a ordem de prisão contra ele expedida pelo Tribunal de Justiça do Pará. Depois de perder no final da manhã o recurso para anular o julgamento que o condenou a 30 anos de prisão pela morte da missionária Dorothy Stang, ele se apresentou na delegacia de polícia de Altamira após saber do mandado para prendê-lo. Mas a ordem ainda não havia chegado. O fazendeiro disse que iria aguardar em sua residência. Somente às 18h o documento chegou às mãos dos policiais, que se deslocaram para a residência de Galvão. Ele foi levado para a delegacia e depois para a penitenciária de Altamira, onde aguardará o recurso do advogado Jânio Siqueira ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

CARLOS MENDES, Agência Estado

06 Setembro 2011 | 20h01

Mais conteúdo sobre:
Dorothy Stangassassinatoprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.