Maluf volta a negar envolvimento com contas na Suíça

"É tudo mentira". Com apenas este argumento o ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf comentou o anúncio do promotor de Justiça da Cidadania, Silvio Antonio Marques, sobre a contratação de um advogado na Suíça para acompanhar as investigações em Genebra. O pré-candidato ao governo paulista acusa para se defender. Diz que o procurador e dois promotores da República, que estiveram em Genebra e Berna investigando o caso, estão fazendo turismo "com o dinheiro dos tucanos".Segundo ele, os promotores estão sendo pagos pelo governo para perseguir um adversário do governador Geraldo Alckmin. "Eu faço um apelo ao PSDB: comecem a trabalhar e deixem-me em paz", pediu Maluf.Em entrevista coletiva em Taubaté, o ex-prefeito respondia às perguntas sobre as movimentações financeiras na Suíça dizendo ser tudo mentira e emendava jargões políticos, acusando o atual governo da falta de segurança pública, do desemprego, e enaltecendo as obras que realizou quando governador. Maluf afirmou que estes assuntos não abatem sua campanha nem sua imagem. "Se eu for candidato, vou ganhar e acabar com tanta violência...".Com promessas na ponta da língua, ele visitou o Vale do Paraíba pela quinta vez em seis meses, alegando ter uma paixão especial pela região, reduto político do governador Geraldo Alckmin. "Em seis meses acabo com a violência e no meu governo, vou levar a Rodovia Carvalho Pinto até o Rio de Janeiro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.