Maluf volta a negar contas no exterior

O ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf (PPB), negou ter tido contas ou qualquer tipo de aplicação financeira fora do País. "Não tenho conta no exterior nem minha mulher, não temos trust (um tipo de aplicação financeira), não sou beneficiário de nenhuma aplicação financeira e não tenho nenhum dinheiro fora do País", declarou. E desafiou: "Encontrem o trust que eu dou o dinheiro para a Santa Casa". Maluf revelou ter tido o passaporte diplomático roubado durante sua recente passagem por Monte Carlo.Sobre as 3 mil ligações telefônicas internacionais encontradas na quebra do seu sigilo telefônico, Maluf apresentou um cálculo dividindo o número de ligações pelos últimos 102 meses pelas dez pessoas da sua família a partir de 21 telefones fixos e 14 celulares e chegou à seguinte conclusão: "É um número ínfimo de ligações, ou seja, três ligações internacionais por mês por pessoa". Maluf afirma que não fez ligações para a Suíça, e disse desconhecer que alguém de sua família tenha feito. Ele confirmou que autorizou seus advogados a contratarem um escritório de advocacia na Europa, em qualquer lugar que seja necessário, "para verificar o que está acontecendo por lá". Maluf prometeu processar os promotores de Justiça que investigam o caso Jersey por divulgação de informações sigilosas, acusou-os de sonegar os mesmos dados para sua defesa e atribuiu as acusações de existência de dinheiro seu no paraíso fiscal de Jersey a uma campanha para prejudicá-lo politicamente. "Vou apresentar mais uma vez o meu DNA e provar que as acusações são falsas", disse, referindo-se à investigação de paternidade a que submeteu recentemente. "Ainda vou sair glorificado disso".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.