Maluf vai à OAB denunciar violação do direito de defesa

O ex-prefeito Paulo Maluf (PPB), acompanhado de seus advogados, reuniu-se por mais de uma hora no início da noite com o presidente da ordem dos Advogados do Brasil (OAB) - sessão São Paulo, Carlos Miguel Aidar, para denunciar o que seus advogados chamaram de "violação do direito de defesa" de Maluf em processos que estão sendo movidos contra ele pelo Ministério Público Estadual (MPE) e pelo Ministério Público Federal (MPF).Maluf não se pronunciou na saída da reunião. ?Como engenheiro, respeito a Ordem dos Advogados", justificou-se, e pediu que seu advogado, o criminalista José Roberto Leal falasse em seu nome. "O que estamos vendo é um retorno ao tempo da idade média, à inquisição", disse Leal. De acordo com ele, o "direito amplo de defesa" está sendo sistematicamente negado à Maluf. Leal citou textualmente o caso da quebra do sigilo de Maluf e de seus familiares, decretada pela Justiça Federal na sexta-feira. "Malheiros (o advogado Arnaldo Malheiros Filho) quis ter acesso aos autos do processo, mas esses lhes foram negados pelo juiz. No entanto, no sábado pudemos ver a imprensa publicando trechos entre aspas; à imprensa se permite isso, e aos advogados não se permite nada."O vice-presidente da OAB, Orlando Maluf Haddad, que também participou da reunião, afirmou que a Ordem instruiu os advogados de Maluf a encaminharem, por escrito, uma representação para a Comissão de Prerrogativas. "A partir desse requerimento, se encontrarmos provas, tomaremos as medidas cabíveis", disse Haddad. Os advogados de Maluf se comprometeram a encaminhar o documento escrito nos próximos dias. "Anexaremos provas de que as prerrogativas dos advogados estão sendo violadas", afirmou Leal. Haddad descartou qualquer vinculação política na visita de Maluf. "A Ordem não se relaciona com Maluf, e sim com seus advogados. É a ela que cabe investigar essas denúncias", afirmou ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.