Maluf tenta desqualificar perito contratado pelo MP

O perito Celso Del Picchia, contratado pelo candidato do PP à prefeitura paulistana, Paulo Maluf, paraexaminar a autenticidade do documento que comprovaria a transferência de US$ 100 milhões numa conta em nome de Maluf, doUBS de Zurique para a filial do Banco em Londres, reafirmou que o documento não é idôneo para servir de prova de que oex-prefeito possuiu dinheiro no exterior. Segundo ele, não é possível tirar qualquer conclusão à respeito do documento portratar-se de uma xerocópia.Del Picchia afirmou que o Ministério Público deveria requisitar o envio do original da Suíça para seguir ou encerrar asinvestigações do caso. Ele ainda contestou a competência do perito Ricardo Molina, que assina um dos laudos apresentadospelo Ministério Público e garante a autenticidade do documento.Para Del Picchia, Molina, que é especialistas em análise fonética está atuando em área onde não tem nenhuma experiência. "É como se o Felipão fosse chamado para ser técnico da seleção de vôlei", declarou.O candidato Maluf, que acompanhou a entrevista, limitou-se a dizer que assinava embaixo das declarações de Del Picchia. Ocandidato a vice-prefeito, o vereador Salim Curiati Júnior, ainda lembrou que Molina sequer presta serviços à Unicamp e ainda, segundo nota distribuída pela assessoria de Maluf, foi demitido, por justa causa, da coordenação do setor de fonética forense dauniversidade, em fevereiro de 2001, acusado de irregularidades administrativas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.