Maluf quer processar vereadora do PCdoB

O ex-prefeito Paulo Maluf (PPB) pretende processar a vereadora Anna Martins (PCdoB), por causa do relatório parcial da CPI que estuda a evolução da dívida do Município, na Câmara Municipal. Maluf acusa a parlamentar, que preside a CPI, de abuso de autoridade ao ter permitido a divulgação do relatório para a imprensa. O relatório foi obtido com exclusividade pelo Estado. No documento, o relator da CPI, vereador Milton Leite (PMDB), denuncia o ex-prefeito por formação de quadrilha, prevaricação, emprego irregular de verbas públicas e improbidade administrativa. Além de Maluf, foram citados o ex-secretário das Finanças, José Antonio de Freitas, e o ex-coordenador da Dívida Pública, Wagner Batista Ramos.As denúncias basearam-se nas investigações realizadas pela CPI. O ex-prefeito é acusado de ter desviado dinheiro do pagamento de precatórios - dívidas contraídas de sentenças judiciais - para outras finalidades. Além disso, durante o seu governo a prefeitura realizou empréstimos supostamente irregulares do Instituto de Previdência Municipal (Iprem). Na avaliação dos vereadores, os empréstimos causaram uma dívida atualizada em cerca de R$ 1,1 bilhão para os cofres públicos.O advogado do ex-prefeito, José Roberto Leal, afirma que o relatório não poderia ter sido tornado público, pois ainda não foi votado pelos membros da CPI, e as investigações não foram concluídas. "Teoricamente ele pode até ser reprovado", disse o advogado, referindo-se ao documento. Além disso, afirmou que não há provas contra Maluf que sustente as acusações.Em nota distribuída à imprensa, Maluf afirma que as acusações são falsas. Os empréstimos com o Iprem, segundo ele, foram aprovados pela Câmara Municipal. No caso das emissões de Letras Financeiras do Tesouro Municipal (LFTMs) para o pagamento dos precatórios, o ex-prefeito diz que as operações financeiras foram avalizadas pelo Banco Central e pelo Senado. "Isso demonstra que, no mínimo, ele está apavorado", avaliou a vereadora Anna Martins. Segundo ela, a CPI ainda não aprofundou as investigações sobre a administração pepebista. "Ele não precisa se preocupar com um relatório parcial, e sim com as irresponsabilidades que fez durante o seu governo", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.