Maluf perde tempo no horário eleitoral da TV

A Justiça Eleitoral determinou ontem o corte de 24 segundos do horário do candidato à prefeitura paulistana, Paulo Maluf (PP), na propaganda política de televisão, nos blocos vespertino e noturno, onde deverá ser exibida uma tarja indicando que a suspensão foi definida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP). A decisão foi tomada pelo juiz auxiliar da 1ª Zona Eleitoral, Galdino Toledo Júnior, que acolheu representação da coligação PSDB-PFL-PPS, do candidato José Serra, contra o PP. Cabe recurso ao Tribunal.Segundo a representação, o partido de Maluf utilizou no primeiro dia (17) do horário eleitoral, por meio de um jingle, o espaço reservado à propaganda eleitoral dos candidatos a vereadores para a veiculação da propaganda majoritária."Houve, efetivamente, um único propósito que foi o de promover o candidato Paulo Salim Maluf, por meio da exposição de suas realizações passadas, cuja retomada é apontada como promessa de campanha e da exibição da imagem de pessoas que supostamente manifestavam apreço a essa intenção, com o destaque de que essas pessoas que apareceram no vídeo não foram identificadas", observou Toledo Júnior.De acordo com a legislação eleitoral, é vedado aos partidos políticos e coligações incluir, no horário destinado aos candidatos proporcionais, propaganda das candidaturas majoritárias, ou vice-versa, "ressalvada a utilização, durante a exibição do programa, de legendas, camisetas e acessórios com referência a candidatos majoritários, ou, ao fundo, cartazes ou fotografias desses candidatos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.