Maluf nega acordo com PT para atacar Serra

O candidato do PP à Prefeitura de São Paulo, Paulo Maluf, negou, durante entrevista no auditório do Grupo Estado, que exista algum tipo de acordo com o PT para atacar somente o candidato José Serra (PSDB), e poupar, de alguma maneira, a candidata do PT, Marta Suplicy. Ele disse que vai para a eleição para ganhar ou para perder. "Na nossa vida pública não tem coligação, com venda de tempo de televisão. Há muitos partidos que são legendas de aluguel". Segundo Maluf, há candidatos "nanicos" que têm 50 segundos alugados para atacar outros candidatos. "Essa é uma das distorções que têm de ser corrigidas pela lei", afirmou.De acordo com o candidato, campanha eleitoral ?é para defender idéias e mostrar seu programa de governo?. ?Não é concurso de gastos de recursos. A campanha mais pobre é a minha; as mais ricas são as da Marta e do Serra", disse.?Marta tem muitas qualidades?Para Maluf, a prefeita e candidata petista à reeleição, ?tem muitas qualidades? e que reconhece que ela tem muita personalidade. ?Senão os assessores te desgraçam", disse. Ele explicou que quando se vai para vida pública se tem um cordão em volta, "na linguagem popular, dos puxa sacos". Questionado sobre qual seria para ele o "pecado" de Marta, ele afirmou que o inchamento da máquina administrativa. "Porém, eu vim aqui para dizer que eu sou o melhor candidato. Não vim para falar mal de outros candidatos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.