Maluf não vai até o fim, prevê Erundina

Pré-candidata do PSB a retornar à Prefeitura de São Paulo, que ocupou de 1988 a 1992, a deputada federal Luíza Erundina não acredita que o ex-prefeito Paulo Maluf mantenha sua candidatura até o fim, com a campanha se polarizando entre a atual prefeita e o ex-ministro da Saúde, José Serra. Neste contexto, considerou que seu nome representa uma alternativa contra o continuísmo (petista) e a mesmice (tucana). Entrevistada no programa Canal Livre, da Rede Bandeirantes, ela considerou que Paulo Maluf está muito desgastado, em razão das denúncias de corrupção que pesam contra ele, "embora ainda tenha um percentual respeitável de votos". A ex-prefeita espera obter o apoio do PMDB à sua candidatura, relevando que, neste sentido, tem conversado com o presidente estadual do partido, o ex-governador Orestes Quércia.Críticas à MartaNa entrevista, a ex-prefeita não poupou críticas a administração da petista Marta Suplicy, a quem acusou de endividar fortemente a Prefeitura com obras viárias de cunho eleitoral e que não beneficiam a maioria da população. "Estima-se que ela (Marta) vai deixar uma dívida maior do que a que recebeu do Pitta (o ex-prefeito Celso Pitta), o que é muito grave." E, citando uma fonte de sua confiança, Erundina revelou que os servidores municipais correm o risco de não receber em dia o décimo-terceiro salário este ano, "por conta exatamente desses investimentos muito caros".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.