Maluf não considera fato grave ter feito campanha dentro de UTI

O candidato do PP à Prefeitura de São Paulo, Paulo Maluf, disse hoje que voltaria a visitar uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de hospital se fosse convidado, mas trataria de lavar as mãos e seguir as recomendações de higiene exigidas. O ex-prefeito disse que se pudesse voltar no tempo não teria feito o que fez ontem. Ele fez campanha pela UTI do Hospital e Maternidade Voluntários, na zona norte, acompanhado de pelo menos 22 pessoas. ?O fato grave não é eu ter visitado sem ser avisado, o que é grave é aquele homem baleado lá?, acredita.O ex-prefeito afirmou que entrou na UTI porque foi convidado. ?Se dissessem que era para lavar as mãos e botar avental eu teria feito isso. O importante é que vocês viram na UTI esse senhor que foi baleado quando quiseram roubar o carro dele. Esse é o problema da cidade, saber porque aquele indivíduo estava lá, baleado e não foi defendido pela polícia?, afirmou o candidato, que visitou lojas na Avenida Vital Brasil, no Butantã. Ele disse que vai manter os projetos da gestão Marta Suplicy que considera ?bons?, como os Centros Educacionais Unificados (CEUs). ?O Ceu é um bom projeto e vou arrumar recursos para construir não 21, 100. Mas as escolas de lata vão terminar também, porque não é justo ter um no Ceu outro no inferno. Então os projetos bons dela, como por exemplo o renda mínima, o agasalho (uniformes). O vai e volta... quer dizer, 3 ou 4 coisas boas que ela fez na cidade entre uma centena que estão desaprovadas, nós vamos continuar.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.