Maluf, Jersey e o Citibank, destaques no <i>The Observer</i>

As investigações sobre os supostos depósitos de US$ 200 milhões mantidos por Paulo Maluf na ilha de Jersey começaram a chamar a atenção da grande imprensa britânica. Após receber destaque nos jornais suíços e do paraíso fiscal, o The Observer, um dos principais jornais dominicais ingleses, disse ontem que "um escândalo brasileiro atinge o Citibank". O jornal afirmou que o Citibank está envolvido numa nova polêmica envolvendo lavagem de dinheiro após uma soma próxima de US$ 200 milhões, "que alega-se que teria sido saqueada num grande escândalo político no Brasil", apareceu em sua agência em Jersey. O jornal acrescentou que promotores públicos brasileiros vão pedir ao Procurador Geral da pequena ilha do Canal do Mancha o congelamento da conta que eles suspeitam pertencer a Maluf.Apesar de dizer que não teria ocorrido desonestidade por parte do banco, o The Observer disse que o caso "é potencialmente constrangedor", pois o Citibank foi criticado pelo Senado dos Estados Unidos em 1999 por causa de seus "relaxados" controles sobre operações bancárias privadas. "Dinheiro roubado foi canalizado através do banco por parentes de políticos como o presidente Carlos Salinas, do México, e o ex-ditador da Nigéria, Sani Abacha", disse o jornal. O episódio poderia também ser prejudicial para Jersey, que tem sido alvo de críticas internacionais pela suas leis que protegem informações corporativas.Segundo o jornal, a polícia e as autoridades financeiras de Jersey estão pedindo informações ao Citibank sobre a conta suspeita. De acordo com informações provenientes do Brasil, a conta é mantida por uma empresa das Ilhas Cayman que, suspeita-se, poderia ser de propriedade de Maluf. O dinheiro teria sido transferido para Jersey em 1997 de uma filial do Citibank na Suíça.O banco norte-americano suspeitou da conta e alertou as autoridades de Jersey e do Brasil, diz o jornal. Um porta-voz do Citibank e o gerente da agência de Jersey, Clive Jones, recusaram-se a comentar o assunto com o jornal britânico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.